COLEÇÃO MESTRES DO BLUES

- Não haverá postagens o tempo todo, serão feitas na medida do possível.

- O blog é contra a pirataria, todos os links são tirados da internet. Gostou do álbum? Se possível , compre!

- Atenção: não peça sertanejo, pagode, hip hop, etc...a minha inteligência agradece.

- Aproveite para deixar seu comentário e caso tenha alguma sugestão de álbum ou artista terei o enorme prazer em pesquisar e postar.







Total de visualizações de página

quarta-feira, 7 de julho de 2021

Edison Electric Band

Edison Electric Band, banda americana formada em 1966 na Filadélfia, era composta por Mark T. Jordan no teclado, T.J. Tindall na guitarra/vocal, David "Rip" Stock na bateria/vocal e Dan Friedber no baixo.

No início se chamavam "The Thomas Edison Electric Band", mas depois abreviaram o nome. O grupo realizou alguns shows no circuito local, porem frustados com a impossibilidade de fazer sucesso, partiram rumo a San Francisco onde realizaram algumas apresentações.

No inicio de 1970 fecharam um contrato para a gravação de um álbum. Porem o álbum era excepcionalmente diversificado, com uma ampla gama de gêneros musicais e, apesar das apresentações serem boas, a ausência de um som distinto não ajudou na aceitação do grupo. O set era tão diversificado que as vezes perguntavam se era a mesma banda.

Após a gravação do álbum, o grupo se desfez.


BLESS YOU DR. WOODWORD

terça-feira, 8 de junho de 2021

Elias Hulk

Elias Hulk, foi uma banda de Heavy-Prog obscuro do Reino Unido. Similar a algumas da época como Fuzzy Duck e T2, ou Proto-Prog como Andromeda e Deep Purple. Foi formada no final dos anos 60 e gravou apenas esse registro em 1970.
Pode-se descrever este álbum como uma mistura de: Hard Rock e Blues, com influências psicodélicas e com um ótimo vocal. É interessante que Peter Thorpe pôde cantar muito pacificamente em algumas faixas e ao mesmo tempo, de uma maneira muito louca, com uma voz rouca em outras.

UNCHAINED


sexta-feira, 7 de maio de 2021

Fanny Adams

Fanny Adams, foi um supergrupo de hard rock formado por australianos e neozelandeses no final dos anos 1970 que estavam radicados em Londres. O quarteto era composto por Johnny Dick na bateria, Vince Melouney na guitarra, Doug Parkinson nos vocais e guitarra base e Teddy Toi no baixo.

Apos a gravação do álbum na Inglaterra, eles se mudaram para a Austrália em dezembro 1970. No entanto, o grupo se desfez meses depois devido a dissidência interna e um incêndio em uma discoteca em Sydney, que destruiu o equipamento da banda. Apos a separação da banda, o álbum foi lançado em junho de 1971.
Fonte: Wikipedia (em inglês)


FANNY ADAMS

segunda-feira, 12 de abril de 2021

Ginger Baker's Air Force

Ginger Baker's Air Force, foi um supergrupo de jazz-rock liderado pelo baterista Ginger Baker e formada no final de 1969 após a dissolução do Blind Faith.

A formação original consistia em Ginger Baker na bateria, Steve Winwood no órgão e voz, Ric Grech no violino e baixo, Jeanette Jacobs na voz, Denny Laine na guitarra e voz, Phil Seamen na bateria, Alan White na bateria, Chris Wood no tenor sax e flauta, Graham Bond no sax alto, Harold McNair no sax tenor e flauta e Remi Kabaka na percussão.

A banda lançou dois álbuns, ambos em 1970: Ginger Baker Air Force e Ginger Baker Air Force 2. O segundo álbum envolveu pessoal substancialmente diferente do primeiro, com Ginger Baker e Graham Bond sendo as constantes primárias entre os álbuns.

Após o lançamento do segundo álbum, os problemas começaram a aparecer. Mesmo sendo um bom disco, não atingiu vendagens expressivas, e isso tornava o ambiente complicado, afinal, o dinheiro que entrava era dividido entre onze pessoas.
A turnê de divulgação do segundo álbum foi agendada para grandes locais, porém, a venda dos ingressos foram muito baixas, e assim, o grupo encerrou as atividades em março de 1971.



DO WHAT YOU LIKE

sexta-feira, 5 de março de 2021

Sid Rumpo

Sid Rumpo, foi um grupo de R&B australiano formado em Perth em novembro de 1971. A banda foi formada por John Hood na guitarra e gaita, Noel Herridge na bateria, Owen Hughes no baixo, Robert Searls na guitarra e vocais e Ken Wallace no piano. Eles tocaram nos festivais Sunbury Pop de 1973 e 1974.
Em agosto de 1973, Hood saiu e foi substituído por Michael John "Mick" Elliott na guitarra solo. Em fevereiro de 1974, o grupo gravou seu álbum de estreia, mas no final do ano a banda se separou.
Fonte: Wikipedia (Em Inglês)

FIRST OFFENCE


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Livin' Blues

 


Livin' Blues, foi um grupo de blues/rock de Haia, Holanda, formada em 1967 por Ted Oberg. Após algumas mudanças na formação a banda ficou composta por Ted Oberg (guitarra), John Lagrand (gaita), Nicko Christiansen (vocal), Oberg Cesar Zuiderwijk (bateria) e Gerard Strötbaum (baixo).

Depois de um segundo single, Strötbaum é substituído por Henk Smitskamp. Com a nova formação o álbum "Hell's Session" é gravado. Em 1970 Cesar Zuiderwijk e Henk Smitskamp saem da banda, em seus lugares entra respectivamente Dick Beekman e Ruud van Buuren.
Embora a banda fosse classificada como um grupo de blues, influências do rock progressivo começam a se infiltrar no segundo álbum "Wang Dang Doodle".

Em 1971, uma tragédia se desenrola na vida de Dick Beekman, que é forçado a deixar o grupo. Ele foi substituído por Johnny Lejeune. É gravado com ele o terceiro LP "Bamboozle".

Em 1972, após a transição da Phonogram para a gravadora Ariola, problemas com o baterista fazem com que Arjen Kamminga toque bateria no LP "Rockin 'at the Tweed Mill, mas ele tem que deixar a banda alguns meses depois com dores nas costas. Kenny Lamb, torna-se o novo baterista. Ele pode ser ouvido no LP "Ram Jam Josey". considerado o último disco da era de ouro da banda.

Em 1974 o grupo se desfaz, porem Ted Oberg se sente forçado a continuar a banda pelo contrato com a gravadora. Com varias formações a banda continuou se apresentando e gravando novos álbuns até o final dos anos 70.
Oberg deixou o grupo em 1986 após quase vinte anos. Christiansen tenta novamente em 1987 com o LP "Now" com Joop Van Nimwegen (guitarra), Aad Van Pijlen (baixo), Willem Vd Wall (guitarra), Art Bausch (bateria) e o veterano John Lagrand.

Em 1989, a banda encerrou as atividades novamente após o LP "Snakedance".

Apos a dissolução da banda Christiansen conseguiu um novo line-up em torno de si. No entanto, os direitos do nome "Livin’ Blues" pertenciam à mãe de Ted Oberg, e Christiansen foi obrigado a chamar a banda de "New Livin’ Blues". A nova banda passou por muitas mudanças, que se tornaram impossíveis de documentar. No ultimo disco do grupo “Out Of The Blue” (1995), o line-up era: Christiansen, Loek van der Knaap (guitarra), Frank Buschman (baixo) e Elout Smit (bateria).
Fonte: Wikipedia (em holandês)

HELL'S SESSION
WANG DANG DOODLE



BAMBOOZLE



ROCKING AT THE TWEED MILL



RAM JAM JOSEY



LIVE 75



BLUE BREEZE



NOW



SNAKEDANCE



THE EARLY BLUES SESSIONS



OUT OF THE BLUE



A BLUES LEGEND

quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Panna Fredda

Panna Fredda, foi uma banda de rock progressivo formada em Roma em 1969. Era composta por Angelo Giardinelli na guitarra/voz, Giorgio Brandi nos teclados/guitarra/voz, Carlo Bruno no baixo e Filippo Carnevale na bateria.
Graças a Roby Crispiano, em 1970, publicam o seu primeiro single que permaneceu por quatro semanas no primeiro lugar. No mesmo ano saiu o segundo single.
Giorgio Brandi deixou o grupo para fazer o serviço militar, Carlo Bruno passou a tocar com outros grupos, enquanto Filippo Carnevale se casou.
Em 1971 entraram no grupo Lino Stopponi nos teclados, Pasquale Cavallo no baixo e Roberto Balocco na bateria, para a gravação do seu único álbum, que contudo não teve sucesso. Logo após, o grupo se desfez definitivamente.
Fonte: Wikipedia

UNO

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Días de Blues

Días de Blues, foi uma banda de blues, rock e hard rock formada em Montevidéu, Uruguai, em 1972 por Jorge Barral no baixo/voz, Daniel Bertolone na guitarra/voz e Jorge Graf na bateria.
Os três integrantes eram do grupo "Opus Alfa", com o qual haviam gravado um disco que não chegou a ser lançado, e conquistado uma merecida notoriedade dentro e fora das fronteiras. Do ponto de vista musical, o grupo se tornou o power trio mais importante do Uruguai até então; sendo também uma importante inspiração para o nascimento do hard rock no país.

O primeiro show inteiramente próprio aconteceu em 4 de julho de 1972 no Teatro Nuevo Stella em Montevidéu. Este concerto pode ser perfeitamente considerado como um dos primeiros shows de hard rock realizado no Uruguai; assumindo também uma importante inovação não só musical, mas também do ponto de vista da amplificação. Lá tocaram as oito músicas que mais tarde fariam parte de seu primeiro álbum e outras que permanecem inéditas até hoje.

A inovadora proposta do Días de Blues foi imensamente apreciada pelo público local e, portanto, mais apresentações se seguiram, por exemplo na Biblioteca Nacional e depois em um grande festival no Velódromo de Montevidéu. Como no Opus Alfa, “Días de Blues” também se apresentou com enorme sucesso no Festival BAROCK na Argentina em 27 de outubro de 1972; dando origem em seguida ao seu primeiro álbum.

O álbum de estreia do grupo foi gravado em novembro de 1972 nos estúdios ION de Buenos Aires e foi lançado no início de 1973. A edição uruguaia trazia na capa uma excelente ilustração do cartunista uruguaio Celmar Poumé, o que infelizmente não foi levado em consideração na edição argentina. Devido ao agravamento da situação política no Uruguai em 1973, o que levaria a um golpe, Jorge Barral emigrou para a Espanha e Daniel Bertolone fez o mesmo, mas com destino à Austrália. Jorge Graf seguiu em frente com o grupo com diversos músicos. Angel Armagno e Gustavo “Mamut” Muñoz estavam no baixo, enquanto Freddy Ramos e Daniel Henestrosa fizeram o mesmo na guitarra. 

Em meados da década de 1970, Jorge Graf emigrou para a Itália, retornando ao Uruguai na década seguinte. Em 1987 formou um grande conglomerado de músicos denominado "Rómulo Bogalle e a Banda Días de Blues". Esta big band cultivou um estilo com algumas raízes bluesísticas mas mais orientado para o candombe, já que tinha uma seqüência completa de tambores além da bateria de Jorge Graf.

A última reencarnação da banda atuou entre 1991 e 1992 e contou com três guitarristas: “Palito” Elissalde, Luis Firpo e Lulo Higgs; permanecendo na bateria Jorge Graf e incorporando o baixista Gerardo Babuglia e o vocalista Heber Píriz. Eles deixaram uma fita cassete gravada ao vivo no Stella Theatre nos dias 13 e 14 de novembro de 1991, chamada "En vivo-Recording Digital" e lançada pelo selo Sondor.

Fonte: Wikipédia (em espanhol)

DÍAS DE BLUES

sexta-feira, 6 de novembro de 2020

The Lively Ones

 



The Lively Ones, foi uma banda americana de surf rock do sul da Califórnia, formada em 1962 a partir da banda "The Surfmen", e que existiu até 1965. A formação era composta por Jim Masoner (guitarra), Ed Chiaverini (guitarra), Ron Griffith (baixo), Joel Willenbring (saxofone) e Tim Fitzpatrick (bateria).
O grupo influenciou muitas bandas de surf rock no sul da Califórnia em 1963.
Em um ano, a banda gravou e lançou quatro álbuns de estúdio e uma compilação com muitas versões cover. Com o surf rock caindo em popularidade com o sucesso das músicas de bandas britânicas (a chamada Invasão Britânica) em meados da década de 1960, a banda se separou em 1965. Em 1994, as músicas da banda experimentaram um crescimento renovado em popularidade quando uma de suas musicas foi usada no filme "Pulp Fiction".
Desde então, a banda voltou com apresentações ocasionais em ocasiões especiais.
Fonte: Wikipédia (em inglês)

SURF RIDER! / SURF DRUMS



SURF CITY / SURFIN' SOUTH OF THE BORDER



THE GREAT SURF HITS II



BUGALU PARTY



HANG FIVE!!! THE BEST OF THE LIVELY ONES

sexta-feira, 9 de outubro de 2020

Quintessence

 


Quintessence, foi uma banda de rock inglesa formada em abril de 1969, por Raja Ram. O estilo era uma mistura de jazz e rock progressivo com influências da música indiana. Quintessence estava entre as primeiras bandas de rock progressivo que assinaram com a Island Records.
A formação original incluía Sambhu Bábají (baixo), Maha Dev (guitarra), Shiva Shankar Jones (vocais, teclados, percussão), Jake Milton (bateria, percussão), Allan Mostert (guitarra) e Raja Ram (flauta, percussão).

Embora Quintessence fizesse centenas de concertos e festivais por toda a Europa, o grupo recusou negociar com uma gravadora americana por intermédio da Island Records e não topou tocar em um concerto no Nova York Carnegie Hall no início de 1972, ou de visitar os EUA, porque quatro dos membros da banda queriam um adiantamento monetário maior.
Apos este episodio a banda perdeu apoio da gravadora e em seguida o grupo assinou com a RCA e gravou um álbum. Inesperadamente o grupo de desfez depois que o álbum foi lançado.

Em 2010, com uma nova formação foram convidados para participar no 40º aniversário Glastonbury Festival.
O grupo continua a realizar esporadicamente shows no Reino Unido.
Fonte: Wikipedia (em inglês)


IN BLISSFUL COMPANY



QUINTESSENCE



DIVE DEEP



INDWELLER


SELF

SPIRITS FROM ANOTHER TIME 1969 - 1971



COSMIC ENERGY - LIVE AT ST PANCRAS 1970

terça-feira, 8 de setembro de 2020

Buddy Miles Express



Buddy Miles Express, foi um grupo liderado pelo ex-baterista da "Electric Flag", Buddy Miles. A banda foi formada depois que a Electric Flag, da qual Miles era membro, se separou em 1968. O grupo também continha quatro outros ex-membros da Electric Flag.
O grupo lançou 3 álbuns entre 1968 a 1973, apos o grupo se desfez.
Miles reformou o Express no início dos anos 90 e lançou um álbum em 1994.
Fonte: Wikipedia (em inglês)


EXPRESSWAY TO YOUR SKULL



ELECTRIC CHURCH



BOOGER BEAR



HELL AND BACK

quarta-feira, 10 de junho de 2020

Spirit


Spirit, foi um grupo de hard/rock psicodélico americano formado em 1967, em Los Angeles, Califórnia. A banda foi liderada pelo guitarrista Randy California.
A formação original do grupo evoluiu de uma banda de Los Angeles, a Red Roosters, que incluía Randy California (guitarras, vocais), Mark Andes (baixo) e Jay Ferguson (vocais, percussão). Em seguida veio Ed Cassidy, na bateria e o tecladista John Locke. Com a nova formação a banda foi originalmente chamada de Spirits Rebellious, mas o nome foi abreviado para Spirit. Antes de retornar ao seu estado natal, Randy tocou anteriormente com Jimi Hendrix como membro da "Jimmy James and the Blue Flames" no Greenwich Village, Nova York em 1966. Hendrix deu a Randy o apelido de "Randy California" para distingui-lo de Randy Palmer, a quem Hendrix chamou de "Randy Texas".
O primeiro álbum do grupo foi lançado em 1968, o álbum foi um sucesso. O álbum teve influências do jazz e usou arranjos elaborados de cordas (não encontradas em suas gravações subsequentes) e é o mais abertamente psicodélico de seus álbuns.
A banda lançou em 1968 seu segundo álbum, The Family That Plays Together e no fim do mesmo ano eles apareceram no Denver Auditorium, como banda de apoio da "Led Zeppelin". O Spirit também apareceu com a Led Zeppelin em dois festivais de música ao ar livre em julho de 1969. O uso de um "theremin" por Jimmy Page foi atribuído ao fato de ele ter visto Randy California usar um que ele havia montado em seu amplificador.
Após o sucesso de seus primeiros discos, o diretor de cinema francês Jacques Demy pediu ao grupo que gravasse a trilha sonora de seu filme Model Shop, onde também fizeram uma breve aparição no filme. 
Depois que o grupo realizou uma turnê promocional para apoiar o álbum Twelve Dreams of Dr. Sardonicus, Ferguson e Andes deixaram o grupo, formando a Jo Jo Gunne.
Randy Califórnia os acusou de conspirar para assumir o grupo. O show final com o Spirit ocorreu em 30 de janeiro de 1971, que quase terminou com uma briga.
O baixista John Arliss assumiu o lugar de Andes. Randy ainda estava na formação, mas ele sofreu um ferimento na cabeça devido a um acidente de cavalo e não pôde fazer a turnê. O baixista Al Staehely foi recrutado por Locke e Cassidy, e eles fizeram uma breve turnê antes de decidir que tinham que adicionar um guitarrista para fazer justiça à música. O irmão de Al, John Christian (Chris) Staehely, fez um teste para a banda e foi rapidamente contratado e gravaram o álbum Feedback de 1972.
Apos a turnê do álbum, Cassidy e Locke deixaram a banda, então os irmãos Staehely recrutaram Stu Perry para tocar bateria. Apesar da turnê ter sido bem recebida pela crítica, o Spirit se desfez em meados de 1973.
Enquanto isso, Randy Califórnia havia gravado e lançado seu primeiro álbum solo, no final de 1972. Depois de lançar uma breve turnê para promover seus albuns, Randy lançou um novo trabalho que foi gravado com Cassidy. Embora Locke tenha aparecido como convidado, não era um álbum da Spirit na época.
Apos um pequeno hiato, Cassidy decidiu montar um grupo totalmente novo para fins de turnê, que durou o ano todo.
Em 1974, Cassidy fez questão de encontrar e restabelecer contato com Randy. Ele finalmente convenceu Randy a voltar e dar à banda outra chance.
Após alguns álbuns e indas e vindas de integrantes, a Spirit se desfez e Randy reuniu outro grupo com a intenção de reiniciar sua carreira solo.
Em dezembro de 1982, a formação original do Spirit retornou e gravou várias músicas de seus quatro primeiros álbuns (além de algumas novas faixas) ao vivo no palco.
Em 1988 eles gravaram um álbum intitulado Rapture in the Chambers. Embora o grupo tenha excursionado extensivamente em apoio, o álbum não conseguiu devolvê-los às paradas.
A Spirit continuou trabalhando quase continuamente pelos próximos anos. Embora eles lançassem muito poucos álbuns de material novo durante a década, o grupo estava sempre gravando ou fazendo turnês.
Randy tinha seu próprio estúdio de gravação em casa desde o início dos anos 1980, embora ele estivesse gravando em casa há anos antes disso. Isso terminou em 2 de janeiro de 1997, quando Randy se afogou na costa do Havaí. Ele estava surfando com o filho, que foi pego em uma correnteza. Ele conseguiu empurrar seu filho para a segurança, mas acabou perdendo a própria vida.
Embora Cassidy tenha tocado algumas shows com alguns ex-integrantes do Spirit sob o nome "Spirit Revisited" em 1998, a morte de Randy foi efetivamente o fim do grupo.
A morte de Randy, no entanto, não marcou o fim do material do grupo. A partir de 2000, havia cinco coleções de estúdio e material ao vivo inéditos, quatro dos quais eram conjuntos de dois CDs. 
Fonte: Wikipedia (em inglês)

SPIRIT



THE FAMILY THAT PLAYS TOGETHER



CLEAR



TWELVE DREAMS OF DR. SARDONICUS



 FEEDBACK



SPIRIT OF '76



SON OF SPIRIT & FARTHER ALONG



FUTURE GAMES A MAGICAL KAHAUNA DREAM



THE ADVENTURES OF KAPTAIN KOPTER & COMMANDER CASSIDY IN POTATO LAND



THE THIRTEENTH DREAM



RAPTURE IN THE CHAMBERS



TENT OF MIRACLES



CALIFORNIA BLUES



LIVE AT THE RAINBOW



TEXAS INTERNATIONAL POP FESTIVAL



MODEL SHOP (SOUNDTRACK)